• Artigos: 0
  • Total: 0,00 €

Ampliar a imagem


Kosmodron

César Príncipe 

Colecção: Fixões

Editor: Edições Afrontamento

Ano de edição: 2017

Tipo de artigo: Livro

ISBN: 9789723615524

C.I.: 00000289322

Número de páginas: 538

Local edição: Porto

Idioma: Português

Encadernação: Brochado

Em stock, enviamos para o correio, até 24 horas.
(Salvo ruptura de stock)

Preço: 24,00 €

adicionar ao cesto

Comente este livro

Adicione à sua Lista de LeituraAdicione à sua Lista de Leitura

 Partilhar: 

O livro por dentro

contra capa

Sinopse

O leitor concluirá ao dobrar o cabo da última página: Comecei a ler. o autor concluiu: Comecei a escrever. Igualmente confia na fidelidade do mercado europeu: em Salónica conheço alguém que me lê./E em Bad Nauheim./Já são dois.
(Günter Eich). …Kosmodron desconstrói/reconstrói prontuários míticos/constrói uma Dialectologia da Incerteza sobre as Certezas da Teologia. a epopeia é determinada por desencadeamentos cósmicos/terrenos/humanos. Sustém um clima de Grande Audiência/Cortejo Fúnebre/Insurreição Voluptuosa. Põe à prova uma tábua de potencialidades/alteridades/transformidades/transformalidades.

Não se confina à historicidade se(lectiva). Entrecha um Corpus Hermeticum. Não se rende/porém/ao tenebrismo. Contracena em Palcos da Idade da Pedra Electrónica/do Átomo Todo-Poderoso/da Informação Circum-Planetária/da Verdade Irrevelada/do Transe das Utopias.

Sobre o Autor

Nasceu, em 1942, em Vilar da Veiga (Gerês). Especializou-se em Jornalismo Político/Ciências da Comunicação/UP (Pós-Graduação). Colaborou em órgãos de informação regionais e nacionais, bem como em programas radiofónicos e televisivos. Foi redactor principal do 'Jornal de Notícias'. Ainda no quadro jornalístico, divulgou as Artes Plásticas Portuguesas, desde o séc. XV à actualidade, cooperando na formação de novos públicos numa área tradicionalmente elitizada. Também na vertente de crítico de Arte, tem contribuições espalhadas por catálogos, monografias e programas audiovisuais. No âmbito institucional, exerceu funções de representação na Empresa, no Sindicato e na Comissão da Carteira de Jornalista, bem como em associações culturais. Participou com textos em espectáculos da Seiva Trupe: 'Um Cálice de Porto', 'Porto do Século', 'O Casamento'. Proferiu numerosas conferências e dinamizou colóquios. No campo cívico, empenhou-se no combate democrático. Em 1974, um mês antes da Revolução de Abril, interveio, em Estocolmo, na Conferência Mundial dos Acordos de Paz sobre o Vietname.
Últimos artigos visualizados