• Artigos: 0
  • Total: 0,00 €

Ampliar a imagem


Doze Contos Peregrinos

Gabriel García Márquez 

Editor: Dom Quixote

Ano de edição: 2017

Tipo de artigo: Livro

ISBN: 9789722063678

C.I.: 00000289820

Número de páginas: 240

Local edição: Lisboa

Idioma: Português

Encadernação: Brochado

Em stock, enviamos para o correio, até 24 horas.
(Salvo ruptura de stock)

Preço: 15,90 €

adicionar ao cesto

Comente este livro

Adicione à sua Lista de LeituraAdicione à sua Lista de Leitura

 Partilhar: 

O livro por dentro

contra capa

Sinopse

O último livro de contos publicado por Gabriel García Márquez.

«Os doze contos deste livro foram escritos no decorrer dos últimos dezoito anos. Antes de receberem a sua forma atual, cinco de entre eles foram notas jornalísticas e guiões de cinema, e um foi o argumento de uma série televisiva. Outro, contei-o há quinze anos durante uma entrevista gravada, e o amigo a quem o contei transcreveu-o e publicou-o, e voltei a escrevê-lo agora a partir dessa transcrição. Foi uma estranha experiência de criação merecendo ser explicado, que mais não seja para que os rapazinhos que querem ser escritores quando forem grandes saibam desde já como é insaciável e incendiário o vício de escrever.»
Gabriel García Márquez, 1992

Sobre o Autor

PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 1982 Escritor colombiano nascido a 6 de Março de 1928 em Aracataca, um pequeno entreposto do comércio de bananas. Desde logo deixado ao cuidado dos seus avós, um coronel na reserva, ex-combatente na guerra civil, e uma apaixonada pelas tradições orais indígenas, estudou na austeridade de um colégio de jesuítas. Terminando os seus estudos secundários, ingressou no curso de Direito da Universidade de Bogotá, mas não o chegou a concluir. Fascinado pela escrita, transferiu-se para a Universidade de Cartagena, onde recebeu preparação académica em Jornalismo. Publicou o seu primeiro conto, "La Hojarasca", em 1947. No ano seguinte, deu início a uma carreira como jornalista, colaborando com inúmeras publicações sul-americanas. No ano de 1954 foi especialmente enviado para Roma, como correspondente do jornal El Espectador mas, pouco tempo depois, o regime ditatorial colombiano encerrou a redacção, o que contribuiu para que Márquez continuasse na Europa, sentindo-se mais seguro longe do seu país. Em 1955 publicou o seu primeiro livro, uma colectânea de contos que já haviam aparecido em publicações periódicas, e que levou o título do mais famoso, "La Hojarasca". Passando despercebida pelo olhar da crítica, a obra inclui contos que lidam compassivamente com a realidade rural da Colômbia. Em 1967 publicou a sua obra mais conhecida, o romance "Cien Años De Soledad" ("Cem Anos de Solidão"), romance que se tornou num marco considerável no estilo denominado como realismo mágico. Em "El Otoño Del Patriarca" (1977), Márquez conta a história de um patriarca, cuja notícia da morte origina uma autêntica luta de poder. Uma outra obra tida entre as melhores do escritor é "Crónica De Una Muerte Anunciada" (1981, "Crónica de uma Morte Anunciada"), romance que descreve o assassinato de um homem em consequência da violação de um código de honra. Depois de "El Amor En Los Tiempos De Cólera" (1985, "Amor em Tempos de Cólera"), o autor publicou "El General En Su Laberinto" (1989), obra que conta a história da derradeira viagem de Simão Bolívar para jusante do Rio Magdalena. Em 2003, as Publicações D. Quixote editam, deste autor, "Viver para Contá-la", um volume de memórias de Gabriel García Márquez onde o autor descreve parte da sua vida. Gabriel García Márquez foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1982.
Últimos artigos visualizados