• Artigos: 0
  • Total: 0,00 €

Ampliar a imagem


Catorze Histórias Incríveis Ou o Fabuloso Imaginário

José Manuel Castanheira  Fernando Palouro Neves 

Editor: Caleidoscópio

Ano de edição: 2017

Tipo de artigo: Livro

ISBN: 9789896584511

C.I.: 00000289293

Número de páginas: 152

Local edição: Casal de Cambra

Idioma: Português

Encadernação: Cartonado

Em stock, enviamos para o correio, até 24 horas.
(Salvo ruptura de stock)

Preço: 49,82 €

adicionar ao cesto

Comente este livro

Adicione à sua Lista de LeituraAdicione à sua Lista de Leitura

 Partilhar: 

O livro por dentro

contra capa

Sinopse

Há uma literatura fantástica, que vem do fundo dos séculos e parece não ter começo nem fim, um fio imemorial na dimensão da sua oralidade. A realidade transforma-se, então, em matéria de sonhos à escala universal e à sabedoria do contar que é a expressão criadora de cada um. Esse imaginário não tem fronteiras ou só as terá na exacta medida em que muitas lendas têm como fonte comum a matriz cristã que se configurou à cultura ocidental, mesmo com a contingência de, na arte oral de contar, se acrescentar um ponto a cada conto.

Esse mundo, ancestral e arcaico, que andou de boca em boca por aldeias, vilas e cidades, atravessou o tempo na desmedida imaginação de muitas gerações. Em lugares inóspitos, onde o atavismo do meio prendia cada um à terra sáfara, as lendas, que durante séculos não foram lidas, mas contadas, eram, muitas vezes, o território fértil e único dessa magia que incorporava na vida a liberdade sonhar.
Ora, um belo dia, o José Manuel Castanheira, ele que sabe "desenhar as nuvens", pegou (em algumas dessas lendas) e colocou-lhes asas de outro imaginário, agora com a expressão plástica das suas cores. Voam as lendas mais alto, pertença de outros sonhos a que o pintor acrescentou novas virtualidades oníricas, nascidas de uma leitura actualizante desse reduto cultural fantástico da Beira Baixa. E aí estão Catorze Histórias Incríveis ou O Fabuloso Imaginário das Lendas da Beira Interior.

Comecemos, pois, a dar asas à nossa imaginação, na descoberta da força ontológica das narrativas e da relação arterial que emerge do olhar criador de José Manuel Castanheira, na sua caligrafia onírica das cores.